Footer Social Media

Bem diferente disso, muitos pais aproveitam esses momentos para curtirem a companhia dos pequenos da melhor maneira possível – muitas vezes sem a mãe por perto.
Que tal aproveitar a proximidade com o Dia dos Pais e se inspirar nas ideias de alguns deles, que revelam seus momentos mais agradáveis ao lado dos filhos?
Família Dó-Re-Mi
O publicitário Mentor Muniz Neto é pai de três meninas: Manuela, de 15 anos; Olivia, 14, e Catarina, 12. Para se divertir com elas nos fins de semana, aposta nos bons e velhos programas de família.
“Dormir tarde vendo um filme, almoçar nos nossos restaurantes preferidos e praticar esportes no clube estão sempre dentro da nossa agenda”, conta.
Quando querem variar, o pai e as três garotas apostam em exposições mais interativas. “Adoramos o Museu de Imagem e Som, o MIS, em São Paulo”, comenta.
Mas o programa mais legal mesmo, segundo ele, é quando se reúnem junto à mesinha de som da casa, em que gravam clipes musicais.
“A gente grava e mixa as meninas tocando e cantando. A Manu fica na guitarra, a Oli na bateria e a Catu no piano. É legal porque, além de divertido, acaba por incentivá-las a estudar os instrumentos”, afirma.
Tradição e diversão
O cantor Pedro Mariano e a filha Rafaela, de 8 anos, também adoram música e vivem escutando juntos as canções e bandas favoritas do pai.
“A gente costuma ir ao parque andar de bicicleta e fazer passeios tradicionais, como ir ao Instituto Butantan, na capital paulista. Um cinema sempre aparece em pauta nos dias chuvosos!”, relata.
De tudo um pouco
O ator Cássio Reis aproveita bastante a companhia de Noah, 7 anos. “Nem sempre é a mesma rotina por causa do meu ritmo de trabalho, mas o tempo com meu filho é sempre prioridade”, afirma.
Para ele, qualquer tipo de entretenimento faz uma criança feliz, desde ir passear em parques, ao ar livre, até conhecer museus.
“Existem inúmeras opções para se fazer no universo infantil: visitar um aquário, ir a um jogo de futebol, jogar pingue-pongue ou, simplesmente, como fiz outro dia, ensinar a fazer avião de papel. Meu filho amou e se divertiu muito”, revela.
Cássio adora as brincadeiras mais simples. “Jogamos futebol assim: ele é um time (inteiro), eu sou o outro. Um bola resolve nossos ‘problemas’ e que vença o melhor – no meu caso, ele”, reconhece, rindo.
Crianças na cidade grande
Para o fotógrafo Pedrinho Fonseca, inventar programas divertidos para fazer com as filhos João, de 7 anos; Irene, 3, e Teresa, 1 e meio, é um desafio constante.
“Vim de uma cidade litorânea; a praia era o nosso quintal. Quando viemos morar em São Paulo e tivemos as meninas, começamos a nos questionar: onde estaria o equivalente à praia, aqui em São Paulo? Que lugar poderia ter a liberdade de descobertas de uma praia, convivência com pessoas diferentes, culturas novas, assuntos novos?”
A resposta, para ele, foi encontrada no Sesc. “Todos eles. Em cada unidade, um aspecto peculiar nos cativou: a biblioteca incrível no Sesc Pompeia, a área de esportes no Bom Retiro, o teatro do Pinheiros, entre outros”, enumera Pedro.
Mas o preferido é o Sesc Belenzinho. “É um lugar de ser livre, sentir-se dono do espaço e correr, desvendar brinquedos simples e estimulantes, ouvir histórias, conhecer pessoas de diversos lugares do Brasil, aproveitar a piscina gigante, correr sobre o chão de vidro que nos faz pensar que, sim, é possível voar”, conta ele, que agora está se mudando com a família para o interior de Minas Gerais.
Criatividade a mil
O escrito e tradutor Bruno Azevêdo também aposta em programas na cidade da família – São Luís, no Maranhão –, para se divertir com a filha Isabel, de 4 anos.
“A Isabel está sempre com a gente, é presença constante em ensaios, gravações e show”, conta ele, que também é músico.
O uso da criatividade impera na família. “Por dois anos também fizemos um álbum de memórias em forma de tiras em quadrinhos, chamado Isabel Comics. Ela adora”, diz.
Todo dia é dia
A profissão do escritor Ronaldo Bressane faz com que a agenda dele e dos dois filhos Lorenzo, 13 anos, e Valentina, 4, não tenha muita rotina.
“Lorenzo vive na Itália com a mãe e passa alguns meses de férias no Brasil. Já a Valentina, eu a vejo quase toda semana, dependendo da minha disponibilidade e da mãe. Não dá pra falar em rotina porque meus horários de trabalho são muito aleatórios”, explica.
Ronaldo faz questão de aproveitar a cidade com os filhos. “Vamos pedalar cada hora em um lugar diferente, ao cinema, teatro, restaurantes, sorveterias, exposições, livrarias, shows, casa de amigos. Sair de casa é imprescindível para que as crianças sintam a cidade”, avalia.
Prioridade total
O ex-publicitário Pipo Calazans largou a vida de agência para ficar mais com a filha, Lorena, 3 anos. “Só via a pequena uns minutinhos de manhã e, se desse sorte, conseguia dar um beijo de boa noite ao chegar em casa. Isso fez com que eu repensasse a vida e meu papel de pai”, explica.
Hoje, boa parte dos dias de Pipo gira em torno da agenda da filha. “Levar na natação e comer pão de queijo e gelatina na saída é divertido para a gente, porque ela ama fazer isso”, conta ele.
Pipo conta que eles costumam criar rotinas divertidas em casa. “A Lolô ama se pintar, então ‘bora’ se pintar. Ela escolhe o tema e eu pinto. Quando ela se olha no espelho, começa nossa brincadeira. Ela encarna a personagem e ai de quem chamá-la pelo nome. O parquinho vira floresta no dia de índio e o sofá, o nosso castelo, no dia da princesa”, diz.
Nos fins de semana, andar de bicicleta, ir ao parque, visitar exposições e circos estão dentro da agenda da família. “É um delícia descobrir a cidade com ela”, finaliza.
 (Fotos: Getty Images e Arquivos pessoais)

Post a Comment